Head-Mensagem-Assembleia-Geral---versão-final-1

Destaque-Serenissimo-GM-Ir-Graff

 

Oriente de Florianópolis, 27 de abril de 2019.

Há alguns dias testemunhamos neste mesmo Templo Sagrado uma maravilhosa palestra do Irmão Luiz Alberto da Silveira acerca do “O homem no Mundo”, onde ele nos retratou uma jornada através dos tempos em busca da felicidade.

Naquela oportunidade, fomos agraciados com mensagens que nos induziram à reflexão sobre esse tema e, a partir do seu livro intitulado “Escolha ser feliz”, nos valemos das palavras seguintes que nos dão um norte, uma direção no desejo da conquista desse estado contínuo de satisfação e deleite.

Diz ele que o que fazemos das nossas vidas, fazemos para nós mesmos e para todos, e que a vida de cada um de nós é a matéria-prima que modelamos, que ajustamos, que alongamos e reduzimos, com o objetivo único de mostrarmos o quanto dominamos e entendemos da arte de viver.

E se dominamos e entendemos da arte de viver, certamente se dá em boa parte, ou no todo, pela razão de aqui estarmos: juntos, unidos, ligados, em família… na Maçonaria e hoje de modo muito especial, celebrando os 63 anos de fundação da nossa Grande Loja de Santa Catarina, data extremamente importante para nós e consequentemente para a ordem maçônica brasileira e mundial, todavia ela será mera formalidade se nós a tivermos unicamente como uma celebração festiva, isoladamente, sem entender o seu verdadeiro significado.

A alegria de um, é a alegria de todos!

E é com a alma em absoluto estado de contentamento que cumprimentamos, inicialmente, aos Irmãos premiados pelo Concurso Pitágoras, que avulta a elaboração de mensagens para reflexão e saber quanto aos temas abordados e debatidos nas nossas Lojas. Poder conciliar compromissos profissionais e familiares, além de dedicar-se aos propósitos que fortalecem nossas Oficinas, requer força e sabedoria; requer sensibilidade para exaltar o trabalho e a virtude, fortalecendo os laços que nos unem na prática da fraternidade.

Parabéns à Loja Pitágoras pela organização do conhecimento e pela sua disseminação, aos 18 Irmãos que participaram do Comitê Julgador, observando cada detalhe na análise dos trabalhos e aos Irmãos que tiveram arrojo e determinação para expor seus pensamentos, dividindo-os conosco a fim de que cada um pudesse conhecer-se e aperfeiçoar-se. Muito obrigado!

E também com o espírito encharcado de júbilo, regozijados, nos associamos aos Irmãos e familiares que a ¼ de século vivenciam e enaltecem a nossa Ordem, e que de forma justa e meritória, foram agraciados com a Medalha 21 de abril, concedida nesta memorável Sessão. É a inconteste homenagem que a Grande Loja de Santa Catarina faz a homens livres e de bons costumes, que optaram pela nossa Ordem como uma filosofia de vida, um caminho para construírem as suas histórias junto às suas famílias!

Os seus exemplos revelam toda a abnegação à causa maçônica, fato que só é possível graças ao apoio e à compreensão dos seus familiares, fazendo com que esta honraria integre a vida daqueles que lhes são mais próximos. Muito obrigado! Ela realmente também lhes pertence.

A alegria de um, é a alegria de todos!

Na região mediterrânea do Oriente existe um fruto muito comum, bastante apreciado pelos que lá habitam desde os primórdios de sua história e que para a Maçonaria tem um sentido todo especial: a romã – na frente da Grande Loja há um pé com alguns destes frutos.

Sendo milenar, ele aparece nos textos bíblicos com significações especiais de diversos povos. Para nós, pela sua divisão interna e íntima disposição das suas sementes, a romã representa a prosperidade e a solidariedade da família maçônica, porque, nos recorda a fraternidade e a união que devem existir entre as Lojas e os maçons espalhados pela superfície da terra.

A gênese da nossa Grande Loja deu-se exatamente no ano de 1855, por imigrantes alemães e suíços em Joinville. A história seguiu seu curso; transcorridos um século e um ano e, já filiadas à Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul, no ano de 1956, seis Lojas fundaram a nossa altiva instituição, como vimos anteriormente.

De lá para cá presenciamos a biografia de um movimento filosófico, transformador, benemerente, humanitário e progressista, dentre outras características que, pelo livre arbítrio dos seus iniciados e sob a égide da crença no Grande Arquiteto do Universo, requer a permanente investigação da verdade, para que possamos lutar contra todas as manifestações de ignorância, contra o fanatismo e contra a superstição, que estão entre os maiores males que afligem a humanidade.

Nestes 63 anos podemos destacar feitos que ressaltam a nossa história, como o reconhecimento da Grande Loja de Santa Catarina por 165 Potências maçônicas regulares, sobressaindo-se nacional e internacionalmente por importantes ações; o cuidado e a ajuda prestada aos Irmãos e Cunhadas pela AMASOL – a nossa Associação Maçônica de Amparo e Solidariedade, que tem sido um fator de conforto nos momentos em que perdemos um ente querido; a assistência social, a educação e a saúde aos menos afortunados através da Fundação Hermon, que é o “braço social” da Maçonaria em Santa Catarina (obrigado Grande Oriente do Brasil e Grande Oriente de Santa Catarina); a participação em organismos sociais, de modo ativo e discreto, por meio da rede Sociedade Maçônica Regional – a SOMAR, e também nos observatórios sociais; a benemerência às comunidades mais carentes, por intermédio das Lojas ou das suas agremiações femininas, que caminham juntas para o acolhimento fraterno, a exemplo da Sociedade Beneficente e Cultural “A Romã”, em Joinville, e da Associação Beneficente “Mosaico”, na Grande Florianópolis, dentre outras. Todas essas conquistas são exaltadas anualmente em família, quando dos festejos maçônicos, e em breve nos encontraremos em Tubarão, celebrando o 52º Encontro do Dia do Maçom.

Hoje ainda tivemos a oportunidade de testemunhar mais um momento especial da nossa Grande Loja: a justa e merecida homenagem àqueles que participavam dos seus trabalhos por ocasião da sua fundação.

Irmão Altair Cascaes – que participou da memorável reunião de fundação da nossa Grande Loja, e Irmão Antônio Boabaid e à distância Irmão Leopoldo Guimarães, bem hajam por fazerem parte daquela excepcional iniciativa. Recebam os nossos profundos agradecimentos pela efetiva contribuição a todos aqueles que, nas suas épocas formaram, e aos que atualmente formam esta excepcional família que é a Grande Loja.

Aquele primeiro passo por vocês realizado em 1.956, meus irmãos, produziu 126 lindas romãs, que permitem a quase 3.950 sementes conviverem juntas no intuito de haurirem nutrientes de virtudes, de participação, de devoção, de dedicação e de amor, enaltecendo a Maçonaria universal. Vocês nos oportunizaram poder pertencer a uma instituição que temos nos seus princípios e valores a conduta que adotamos para reger a forma de vivermos.

Juntos com o Grande Oriente de Santa Catarina e com o Grande Oriente do Brasil, em Santa Catarina, reunimos cerca de 13.500 Irmãos em mais de 420 Lojas. Enaltecemos aqui, mais uma vez, a disposição da Grande Loja de Santa Catarina em fortalecer cada vez mais a parceria entre as três Potências no nosso Estado.

Ressaltamos também as administrações havidas ao longo desses 63 anos, lideradas pelos nossos ex-Grão-Mestres que ainda hoje atuam de modo muito intenso e coeso, nos dando o suporte, juntamente com os IIr\ da Alta Administração e funcionários da Grande Loja. Muito obrigado!

A alegria de um, é a alegria de todos!

A Grande Loja está marcada por uma série de iniciativas, atitudes e posturas que nos propiciam alacridade de aqui estar. Nossos Obreiros têm dado verdadeiro significado ao termo Maçonaria, não apenas para eles mesmos e seus familiares, mas para toda sociedade. E hoje, muito mais do que falarmos sobre tudo o que temos feito, queremos convidá-los para, além de reiterarmos o entendimento sobre a importância desta data, estarmos juntos, mais uma vez, aproveitando a vida!

Sim, aproveitá-la, porque ao longo desse período perdemos alguns valorosos Irmãos e familiares e os seus sorrisos, suas palavras afáveis e seus abraços apertados nos farão falta. Agora, só lembranças e alegrias registradas na memória para que o coração se sinta confortado.

Por isso, precisamos ficar mais próximos, não desgrudar da pessoa amada, valorizando-a e contemplando-a diretamente nos olhos e com a linguagem do coração dizer “eu sinto a tua falta!”, “eu te amo!”, “eu te quero sempre ao meu lado!”…

Por isso precisamos ser, ou continuar sendo, corteses, gentis e educados, para estabelecermos sempre relações agradáveis e saudáveis, reiterando os “muito obrigado”, “me desculpa”, “por favor”, “com licença”, “não foi nada”…

Por isso precisamos estar unidos, solidários, coesos, uníssonos, como as sementes da romã, em torno dos propósitos maçônicos de permanentemente evoluirmos enquanto pessoas, contribuindo uns com os outros.

A alegria de um, é a alegria de todos!

Diz o poeta que o que importa não é só o que fazemos com a nossa vida, mas o que fazemos para a vida dos outros, para o todo, pois quando tocamos em algo, deixamos a nossa impressão digital. Quando tocamos a vida das pessoas, deixamos com elas a nossa individualidade. A vida é boa quando estamos felizes, mas a vida é muito melhor quando os outros estão felizes por nossa causa. Na natureza – e nós somos seus filhos, nada vive para si: os rios não bebem sua própria água, as árvores não comem seus próprios frutos, o sol não brilha para si mesmo, as flores não espargem sua fragrância para si, nós não criamos nossos filhos para nós mesmos…

As pessoas felizes convivem com pessoas felizes para juntas disseminarem o contentamento, a aventurança e a alegria, e nós, na Grande Loja de Santa Catarina, temos plena convicção disso.

Atualmente trabalhamos, e muito, com base na proposta de “conhecer-se e aperfeiçoar-se”, de forma permanente, para o nosso melhoramento individual, fazendo uma Maçonaria responsável e matura, fruto da comunhão de propósitos de todos os Irmãos e cunhadas com suas famílias, a fim de alcançar o maior desiderato da nossa instituição, que é o de tornar feliz a humanidade, conscientes da fraternidade e de uma inclusão afetiva, do amor como razão de ser, da solidariedade e benemerência, da confiança nas pessoas, da alegria de viver e de servir, do acolhimento em pertencer e do dar afeto e carinho aos que conosco convivem.

A alegria de um, é a alegria de todos!

Sejamos fieis ao corolário que a mais bela das corporações que o homem pode criar vem nos oferecendo, desde quando nos acolheu. Só assim é possível alcançar seus elevados fins, e fazer com que a nossa Grande Loja continue sendo exemplo à frente das instituições nascidas do amor à humanidade e do interesse ao bem-estar dos povos.

E tenhamos sempre em mente de que, realmente, a alegria de um, majestosamente, é a alegria de todos!

Parabéns à Grande Loja de Santa Catarina pelos seus 63 anos!

Vida longa a esta senhora, que é a nossa mãe na Maçonaria!

Que Deus, o Grande Arquiteto do Universo, a todos abençoe, ilumine e guarde!

Flávio Rogério Pereira Graff
Grão-Mestre
Grande Loja de Santa Catarina