Saudação ao Pavilhão Nacional
Irmão Rubens Friedrichsen, Mestre Maçom da Augusta Respeitável Loja Simbólica Amadeus Mozart nº 108
Joinville, 03 de abril de 2016

“Bandeira Nacional!
Do Oriente ao Ocidente, trêmulas ó manto sagrado,representando assim toda uma nação, desde os pontos mais longínquos, e em cada município dessa querida e imponente Federação.

De Norte a Sul
De Leste a Oeste
Dos Pampas ao Agreste…

Inspirastes a marcha de heróis e mártires no passado, e sempre serás fonte de inspiração para novos personagens de fibra e coragem, bem como para cada cidadão laborioso, trazendo no presente ou no futuro, fé e esperança num amanhã promissor e glorioso.

Querido Pavilhão, servistes de manto, para cobrir o corpo de um povo guerreiro, corajoso e hospitaleiro;e em outras oportunidades, também secastes o pranto, no tecido que simboliza a riqueza nas tuas cores: verde, amarelo, azul e branco.

Muito embora, desde outrora, porém com mais veemência agora, sob o jugo arbitrário, inescrupulosos mandatários sem valor, dilapidaram as tuas riquezas, maculando a tua imagem, sem nenhum pudor.

Ó Pátria mãe querida, que tantas vezes distraída, fostes e és sorrateiramente subtraída, por aqueles que só tem a si próprios como senhor, prevalecendo os interesses profanos, deixando a mercê o povo incauto e a sua dor.

E o que falar do momento atual
Em que assistes envergonhada
Ao maior assalto da história…
Governantes sem moral
Patrimônios suntuosos de ninguém
E que servem de fachada
Para quem nunca sabe de nada
A mentira virou regra
A justiça cada vez mais cega
Enquanto a corrupção não dá trégua…

Os valores se perderam nos ideais republicanos…
Tu que presenciastes a nobreza, o caráter e a retidão de D. Pedro II
Presencias hoje uma classe política decadente
Num jogo de interesses escatológicos e imundos

Nesse interregno, desfraldada, mais recentemente, presenciastes inúmeros casos indecorosos, manobras e escárnios, que parecem perenes: como os casos na SUDAM e na SUDENE, cartões corporativos, quebras e sangrias de bancos e empresas estatais, e a cada novo diaescândalos noticiados nos jornais: Operação “Roupa Suja”, Caso das Ambulâncias” e “Operação Sanguessuga”; “Operação Navalha”, “Anaconda” e “Satiagraha”…

Do “Mensalinho” ao “Mensalão”, passando pelo “Valerioduto” aos “Fundos de Pensão”; “CPI dos Bingos”, dos “Correios”, “BNDES”…;do “Propinoduto” ao “Petrolão”… e agora os bilhões da “Lava-jato”, desviando nossa riqueza, através de expedientes escusos e nefastos, nas mãos de governantes que infelizmente não honram os seus mandatos.

Não obstante, prevalecendo o teu desiderato, mesmo com tantos escombros, o povo cordato,seja do ancião ao mais novato, sempre a carregará com orgulho e fervor, entoando o teu hino como prece e com amor, ainda diante de eventual desencanto nesse tempo hostil, honrarão o juramento de ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil.

Imperioso destacar, a tua altivez, seja a meio-pau ou no mais alto lugar talvez, nos momentos de glória e de dor, com destemor, em competições desportivas, nas mãos de Pelé, Gustavo Kuerten e Ayrton Senna, nas conquistas pan-americanas e olímpicas, em cinco campeonatos mundiais, acompanhastes as marchas, passeatas, protestos e lutas…das quais não se esquece jamais.

A instauração do caos, representada pela entropia, haverá de dar lugar a uma nova era de paz e harmonia, utilizando uma nova formatação, através de homens livres e de bons costumes, voltada para a filantropia, afastando toda a maldade para tornar feliz a humanidade, com o advento da sintropia.

Por tudo isso, é que temos a certeza que jamais esmorecerás, porquanto haverás de tremular mais forte e dentre as múltiplas nações triunfarás.

Tal qual a forma do avental e de outros símbolos maçônicos, confeccionada na forma de um quadrilongo, querido símbolo da terra, composta ainda de um losango, do cruzeiro e da esfera, numa simetria justa e perfeita, de norte a sul, da terra ao céu, esculpida maravilhosamente com o esquadro, o maço e o cinzel.

Bandeira do Brasil, guardas também lugar de destaque em cada Loja dessa imensa Oficina. Presenciastes como presencias hoje aos nossos augustos trabalhos, como prova de respeito à tradicional regra que nos impõe o dever de amar e defender o teu solo e a nossa querida nação, do mesmo modo, a nossa sublime Ordem inspira-nos a amar e servir incondicionalmente a cada irmão.

Hoje, mais do que nunca, a Maçonaria, que sempre esteve presente, desde a tua concepção acompanhando-a em cada fase da tua idade, na preparação da independência, e em prol dos nobres ideais da liberdade, igualdade e fraternidade, a exemplo de outras augustas instituições travam uma imensa e árdua missão, com o escopo de protegê-la, incólume, de um câncer chamado “corrupção”…

E é com muita emoção, que rogamos para que a marcha da história prossiga destacando com sabedoria, a tua força e beleza, seguindo naturalmente o seu curso e com a evocação “Ordem e Progresso”, nós te saudamos e reverenciamos sob os influxos do Grande Arquiteto do Universo…

Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!”