Sem título-1
Foi realizada na noite do dia 16 de agosto, a Sessão Solene do XLVII Encontro do Dia do Maçom, no Siso’s Hall, em Criciúma.
Em uma noite de muita emoção, com um público presente de cerca de 800 participantes e o tema “Vivendo o amor fraternal”, a solenidade foi presidida pelo Irmão Arlindo Roberto Voltolini, Mestre Instalado da Loja “Fraternidade Criciumense” nº 33.
Foto-18-08-14-09-38-10

Mesa das autoridades

A mesa principal desta Sessão Solene foi composta pelas seguintes autoridades:

  • Sereníssimo Grão-Mestre da Muito Respeitável Grande Loja de Santa Catarina, Irmão João Eduardo Noal Berbigier;
  • Venerável Mestre presidente desta Sessão, Irmão Arlindo Roberto Voltolini;
  • Excelentíssimo Prefeito Municipal de Criciúma, Márcio Búrigo;
  • Sereníssimo Grão-Mestre da Muito Respeitável Grande Loja Maçônica do Estado de Minas Gerais e Presidente da XLIII Assembleia Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, Irmão Leonel Ricardo de Andrade;
  • Sereníssimo Grão-Mestre do Grande Oriente de Santa Catarina, Irmão João Paulo Sventnickas;
  • Eminente Deputado do Grão-Mestre da Grande Loja de Santa Catarina, Irmão Flávio Rogério Pereira Graff;
  • Eminente ex-Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará e Secretário Geral da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, Irmão Etevaldo Barcelos Fontenele;
  • Eminente ex-Grão-Mestre da Grande Loja de Santa Catarina, Irmão Airton Edmundo Alves;
  • Muito Respeitável Conselheiro do Supremo Conselho do Grande Oriente do Brasil-Santa Catarina, Irmão José Moreno, representando nesta Sessão, o Sereníssimo Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Santa Catarina, Irmão Wagner Sandoval Barbosa;
  • Presidente da Comissão Organizadora deste XLVII Encontro do Dia do Maçom e Presidente da Associação São João de Beneficência, entidade Promotora deste Encontro e, ainda, Muito Respeitável Delegado do Grão-Mestre para o 15º Distrito Maçônico, Irmão Flávio Cláudio Silvério;
Além de homenagear entidade e instituições, prestou-se uma homenagem a todos as etnias que desbravaram a região de Criciúma. O assunto, segundo o Irmão Voltolini, além de interessante, sempre mereceu o respeito por todos nós. “A primeira etnia que aqui aportou foi a italiana, em 1876, seguida pelas etnias alemã, polonesa, portuguesa, espanhola, negra e árabe. Tudo começou com a etnia italiana, quando o governo imperial brasileiro pretendia povoar a região sul de Santa Catarina com cem mil imigrantes europeus ‘sadios, laboriosos e moralizados’, e lhes garantiria alimentação, transporte, casa para morar e terra para trabalhar. Quanto a etnia alemã, os imigrantes inicialmente vieram morar entre Palhoça e São Pedro de Alcântara”. Sobre os imigrantes poloneses de Criciúma, Irmão Voltolini disse que eles “foram motivados a deixarem seu país por dificuldades sócio-econômicas. Na época, a Polônia fora atingida pela propaganda brasileira com o fim de conseguir colonos para o Sul do país. Das três levas de imigrantes para o sul de Santa Catarina, a primeira era formada por imigrantes que fixaram-se em Linha Cabra, Cocal, Linha Torrens, Linha Ferreira Pontes e Linha Espanhol. A influência do negro para Criciúma encontrou sua origem nas localidades de Gravatal, Braço do Norte, São Pedro, Laguna, Jaguaruna, Tubarão e Araranguá, donde as primeiras famílias vieram para Criciúma em busca de trabalho. Só havia o serviço da roça e então, vieram para as minas e na estrada de ferro˜. E a Maçonaria criciumense homenageou, nas palavras do Irmão Arlindo Roberto Voltolini, “todos os imigrantes que desenvolveram a nossa região“.
Foto-18-08-14-09-38-07

Sr. Márcio Burigo, excelentíssimo prefeito da cidade de Criciúma, discursando.

A palavra passou, então, para o Sr. Márcio Búrigo, Excelentíssimo Prefeito da cidade de Criciúma, que deu as boas vindas a todos e disse que “nem mesmo ele tinha conhecimento de tantos detalhes sobre as etnias que contribuíram para o desenvolvimento do município“. Enalteceu a Comissão Organizadora pela qualidade do evento e destacou a importância da Maçonaria  no contexto social e particularmente na região de Criciúma.
Foto-18-08-14-09-38-14

Irmão Marcelo Emilio Beirão, Orador, falando aos presentes

Depois foi a vez do Irmão Marcelo Emilio Beirão, Orador, Mestre Instalado da Loja ˜Liberdade Criciumense˜ nº 55, se dirigir a todos, dizendo inicialmente que “a noite era de muita alegria e contentamento para a Maçonaria Sul Catarinense, assim como também para a Grande Loja de Santa Catarina, por contar na Sessão Solene, com a presença de ilustres convidados, autoridades e esposas que procediam de muitas cidades de Santa Catarina e de outras partes do nosso País, dando um colorido especial à Cerimônia˜. O Irmão Beirão comentou que “no entendimento da Ordem Maçônica, esta é uma consecução da Grande Obra, daquela Obra tão decantada e cultivada pelos alquimistas, através dos séculos e que constitui o propósito e a razão de ser todas as instituições religiosas e espiritualistas e dos esforços incessantes do Ser Humano, consciente de sua origem divina e de sua destinação transcendental˜. Disse também que “somos privilegiados, pois num país continental como o nosso, conseguiu-se manter a língua pátria – o português – em todos os seus recantos, o que não acontece em outras partes do mundo, como a Europa, por exemplo, onde num território menor do que o território brasileiro, existem mais de vinte países e falam-se mais de vinte idiomas”. O Irmão Orador agradeceu ao Irmão João Eduardo Noal Berbigier, Grão-Mestre, e a toda a Alta Administração da Grande Loja de Santa Catarina pelo apoio recebido sempre que a organização do XLVII Encontro do Dia do Maçom precisou. Para finalizar, o Irmão Marcelo Emilio Beirão disse que “a Maçonaria criciumense sentia-se penhorada, agradecida e sensibilizada pela presença de tão grande número de Irmãos, autoridades convidados e suas esposas no Encontro, manifestando sua alegria e abraçando simbolicamente a cada um dos presentes”.
Irmão Flávio Cláudio Silvério, Presidente da Comissão Organizadora deste XLVII Encontro do Dia do Maçom e Presidente da Associação São João de Beneficência e   Muito Respeitável Delegado do Grão-Mestre para o 15º Distrito Maçônico, fala durante esta solenidade.

Irmão Flávio Cláudio Silvério, Presidente da Comissão Organizadora deste XLVII Encontro do Dia do Maçom e Presidente da Associação São João de Beneficência e Muito Respeitável Delegado do Grão-Mestre para o 15º Distrito Maçônico, fala durante esta solenidade.

O Irmão Flávio Silvério, presidente da Comissão Organizadora do XLVII Encontro do Dia do Maçom, disse que “a grande família Maçônica de Santa Catarina estava reunida para homenagear a fraternidade. Fraternidade que se materializa neste Encontro numa multiplicidade de cores, raças e culturas, dando a este evento uma feição multifacetada da Criciúma que prazerosamente os recebe na condição de anfitriã“. E continuou dizendo que “deste caldeirão étnico formado por italianos, alemães, negros, poloneses, portugueses, espanhóis e árabes – além de outras tantas etnias e culturas aqui não mencionadas, torna possível compreendermos a extensão do termo etnia que, a conforme propugnado por Stuart Hall trata-se da ‘expressão da cultura subjacente de um único povo’ quando nos referimos às suas características culturais (língua, religião, costume, tradições e sentimento de lugar partilhadas).˜ O Irmão Flávio Silvério destacou que “viver em fraternidade é, na verdade, uma forma pragmática de aplicar a sabedoria, aplicando-a ao cotidiano a partir da interpretação e compreensão reflexiva do conceito de caridade exortado por Saulo de Tarsis, quando esta com a fraternidade se confunde, quando diz ser ela: ‘paciente, bondosa, não invejosa, não arrogante, não orgulhosa, não buscar os próprios interesses, o no se irritar com facilidade, não guardar rancor ou ressentimento; não se alegrar com as injustiças, mas sempre se rejubilar com a verdade“. Disse ainda que o “nosso viver em fraternidade traduz-se na singela forma de viver fora do alcance das malfadadas barreiras do preconceito, da discriminação, do fundamentalismo religioso, enfim, de toda forma de segregação, seja ele de cor, raça, religião, classe social ou outras formas manifestas. Encerrou a sua fala comentando que “nestes três dias do XLVII Encontro do Dia do Maçom da Grande Loja de Santa Catarina nos reunimos aqui no Sul de Santa Catarina (e do Brasil), juntos, lado a lado à mesa, vivendo a fraternidade, unidos pelo coração, pela ética, pela moral e pelos bons costumes, vivenciem-na em toda a sua plenitude”.
Foto-18-08-14-09-38-16

Irmão João Eduardo Noal Berbigier discursa nesta Sessão Solene.

Em seguida foi a vez do Irmão João Eduardo Noal Berbigier, Grão-Mestre da Grande Loja de Santa Catarina, passar a sua mensagem. Iniciou falando sobre a sua história de vida e que começou a sua carreira profissional na cidade de Criciúma, como Engenheiro de Minas e, também, o seu ingresso na Maçonaria. Comentou que jamais imaginou um dia ser Grão-Mestre e muito menos vir a presidir um evento de tal magnitude nesta cidade. Agradeceu pela forma que foi e que continua sendo recebido por todos. O Irmão Berbigier falou sobre os princípios da Maçonaria, destacando que ela não é uma religião, mas que exige de seus membros a crença em um princípio criador que denominamos de Grande Arquiteto do Universo. Destacou que o propósito desse encontro é sermos felizes praticando a fraternidade. Considerando o momento político que vivemos, ressaltou a Carta de Belo Horizonte redigida na XLIII Assembleia Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica Brasileira, realizada na capital mineira no mês passado. Falou sobre a campanha nacional do “Voto Cidadão”, destacando os itens mencionados nela. Convidou a todos para que participem desse processo de forma efetiva e falou também, que a Maçonaria brasileira está patrocinando a elaboração de um projeto de Lei de iniciativa popular, que já está em fase de conclusão, com o objetivo primordial de neutralizar a corrupcão e erradicar a impunidade. Lançou desafio para que juntos possamos colher no Brasil 5 milhões de assinaturas. Finalizou dizendo que os movimentos em curso e os que virão, visam o aperfeiçoamento das regras institucionais que legitimam e consolidam o Estado Democrático de Direito.
Depois foi realizado o Jantar Especial de Gala e, posteriormente, o Baile de Gala.
A seguir mais algumas fotos que registram este evento:
Foto-18-08-14-09-38-19

Panorâmica do público presente ao evento

Foto-18-08-14-09-38-22

Público presente ao evento

Foto-18-08-14-09-38-24

Jantar de Gala

error: Este conteúdo está protegido. É proibido a sua cópia.